Banner Nuvem de palavras_Valor em saúde site.jpg

Valor em Saúde

Definição

O conceito de valor em saúde difere entre as escolas americana e européia.

 

Segundo Porter & Teisberg, Valor em Saúde é definido como os desfechos em saúde obtidos em relação ao custo.
O objetivo correto do sistema de saúde é aumentar o valor gerado para os pacientes, definido como a qualidade dos desfechos obtidos pelos pacientes em relação ao custo do tratamento.

 

Fonte:

Porter ME, Teisberg EO. Redefining Health Care: Creating Value-Based Competition on Results. Boston: Harvard Business School Press, 2006.
 

Já o conceito de Valor em Saúde proposto pelo Painel de Especialistas da União Européia sobre Formas Efetivas de Investir na Saúde (EXPH), aprovado em 2019, é mais abrangente (Quádruplo Valor) e engloba  quatro dimensões: Valor Pessoal, Valor Alocativo, Valor Técnico e Valor Social. Nessa visão, a definição apresentada por Porter & Teisberg, em 2006, corresponderia a uma das dimensões do Quádruplo Valor  que é o Valor técnico.

https://ec.europa.eu/health/sites/default/files/expert_panel/docs/024_defining-value-vbhc_en.pdf

 

Termos relacionados: Value-Based Health Care – VBHC, Quádruplo valor.

​Uso do termo | Significado

"O valor deve sempre ser definido em torno do cliente e, em um sistema de saúde que funcionasse adequadamente, a criação de valor para os pacientes deveria determinar a remuneração de todos os outros atores do sistema. Já que o valor gerado depende dos resultados alcançados, não do volume produzido, o valor em saúde deveria ser medido pelos desfechos alcançados, não pelo volume de serviços de saúde prestados, e essa mudança de foco de volume para valor é um desafio central. O valor também não deve ser medido pelo processo de cuidado; medir e melhorar os processos são táticas importantes, mas não substituem a medida de desfechos e custos."
Porter ME. What is value in health care? N Engl J Med. 2010;363(26):2477-81.

 

“O Valor em saúde é medido pela melhora nos desfechos do paciente em relação ao custo de se alcançar tais desfechos.”
Fonte: Teisberg E, Wallace S, O'Hara S.  Defining and Implementing Value-Based Health Care: A Strategic Framework, Academic Medicine. 2020; 95(5):682-685.

 

“Desde os primeiros dias da medicina baseada em evidências (MBE), tem havido um foco em valor. Apesar de ter sido acusada de ser um ‘livro de receitas da medicina’, porque as evidências baseavam-se em estudo de grupos de pacientes com características em comum, a definição de MBE enfatizava a necessidade de ‘identificação mais cuidadosa e do uso compassivo dos dilemas, direitos e preferências individuais do paciente na tomada de decisão clínica sobre seu tratamento’ [32]. A Atenção à Saúde Baseada em Evidência(ASBE)  foi lançada juntamente com a MBE e, em 2001, o termo “value-based healthcare (VBHC)” foi usado pela primeira vez [33], para descrever como na ‘era do value-based healthcare… a situação que iria prevalecer  no sistema de alocação de recursos seria aquela na qual os pagadores exigiriam que fossem oferecidas apenas as intervenções cujos desfechos proporcionassem maior benefício do que as alternativas que utilizassem recursos equivalente. O NHS (Serviço Nacional de Saúde) da Inglaterra adotou explicitamente o conceito de valor em 2004 e publicou a primeira ‘Revisão Anual de Valor Populacional’, em 2006, divulgando a escala de variação na alocação de recursos para diferentes subgrupos definidos por suas necessidade, por exemplo, pessoas com câncer ou pessoas com problemas de saúde mental. Em seguida foi publicado o livro ‘How To Get Better Value Healthcare’ (“Como otimizar o Valor em Saúde’), em 2007 [34]. Além do trabalho em Oxford sobre MBE, um grupo desenvolveu o conceito de ‘Values-Based Medicine - VbM)’ (‘Medicina Baseada em Valores’) definida como ‘a teoria e a prática de tomada de decisão efetiva em saúde para situações nas quais perspectivas de valor legitimamente diferentes (e, portanto, potencialmente conflitantes) estão em jogo’ [35] e levam em conta as diferentes perspectivas sobre os ‘valor(es)’.

Fontes: 32. Sackett, D., et al., Evidence based medicine: what it is and what it isn't.  BMJ, 1996. 312 (7023): p. 71-72.

33. Gray, M., Evidence-based healthcare; how to make health policy and management decisions 2001: Churchill Livingstone.

34. Gray, M., How To Get Better Value Healthcare 2007: Offox press.

35. Fulford, K., Ten principles of values-based medicine (VBM) , in Philosophy and Psychiatry , T. Schramme and J. Thome, Editors. 2004, deGruyter. p. 50-80.

 

Termo(s) em inglês:

Value in health

Fonte:

Glossário da Academia VBHC