Banner Nuvem de palavras_Valor em saúde site.jpg

Tratamento fútil / Futilidade médica

Definição

Futilidade médica refere-se às intervenções que provavelmente não produzirão qualquer benefício significativo para o paciente. Distingue-se dois tipos de futilidade médica:
- Futilidade quantitativa, quando a probabilidade de uma intervenção beneficiar o paciente é extremamente baixa, e
- Futilidade qualitativa, quando a qualidade do benefício que uma intervenção produz é extremamente baixa.
Tanto a futilidade quantitativa quanto a qualitativa referem-se à probabilidade de um tratamento específico beneficiar (não apenas ter um efeito fisiológico) o paciente.
A futilidade não se aplica a tratamentos globais, a um paciente ou a uma situação médica global. Em vez disso, refere-se a uma intervenção específica em um momento específico, para um paciente específico. Por exemplo, em vez de afirmar: “É fútil continuar a tratar este paciente”, alguém diria: “A RCP (ressuscitação cardiopulmonar) seria fútil, do ponto de vista clínico, para este paciente”.

 

Fonte:

Jecker NS (2014) Ethics in Medicine. University of Washington School of Medicine. Last date modified: March 14, 2014. https://depts.washington.edu/bioethx/topics/futil.html

Termos relacionados:
Pertinência do cuidado, Tratamento desnecessário, Necessidade médica.


Uso do termo | Significado

"Ao longo do curso do tratamento de um paciente com doença grave, pode tornar-se evidente que uma intervenção adicional apenas prolongaria o estágio terminal do processo de falecimento. Nesse ponto, outras intervenções são frequentemente descritas como fúteis."
Council On Ethical And Judicial Affairs, American Medical Association (1999) Medical futility in end-of-life care. Report of the Council on Ethical and Judicial Affairs. Journal of the American Medical Association 1999; 281: 937-941.

"O debate sobre a futilidade médica pode levar a uma revisão da relação médico-paciente e com isso uma restauração do senso comum e da realidade quanto a percepção da sociedade sobre os poderes da medicina."
Sneidermann LJ, Jecker NS (1995) Wrong Medicine. Doctors, Patients and Futile Treatment. Page 171. Johns Hopkins University Press.

 

Termo(s) em inglês:

Futile/Medical futility

Fonte:

Glossário da Academia VBHC